Escala Grega – Parte 2

Escala Grega – Parte 2

Modos para Solar Guitarra ou Piano (Parte II)

Como saber o modo a utilizar ?

Antes de mais é importante conseguir utilizar os ouvidos. Como nem sempre estes ajudam aqui vai uma formula (mais ou menos) mágica.

A partir da progressão de acordes que a musica sobre a qual se pretende solar ou improvisar é possível determinar (em teoria) o modo a utilizar. A progressão de acordes determina os intervalos da escala, pelo que basta identificar o modo que utiliza os mesmos intervalos!

Para perceber a identificação dos intervalos é importante a lição sobre a harmonização da escala maior (que brevemente será apresentada). Por agora basta conhecer a escala harmonizada de acordes:

     C Maj    D min    E min   F Maj   G maj   A min  B dim (min)   C Maj
              T            T          st         T          T         T                 st
          I          ii           iii         IV         V         vi           vii              VIII

A ideia é descobrir onde é que a progressão de acordes se encaixa nesta escala, não em termos de notas, mas relativamente à natureza do acorde (min / Maj) e em relação aos intervalos.

Numa progress√£o de acordes podem existir v√°rios acordes (tipicamente at√© quatro ou cinco). Como cada um destes tem que ser confrontado com as possibilidades dentro dos maiores ou menores da escala harmonizada, as “simula√ß√Ķes” podem ser bastante aborrecidas, pelo que a exclus√£o de parte ajuda bastante.


Exemplo:

Suponha a seguinte sequ√™ncia de acordes: E C#m G#m A (The Pixies – Where is my mind ?)

Ordenando os acordes: C#m E G#m A, os intervalos s√£o: min + Tst(Maj) + TT(min) + st(Maj) + TT(min)

Temos que comparar esta sequ√™ncia de intervalos com todas as posi√ß√Ķes de acordes para determinar quais as combina√ß√Ķes poss√≠veis de intervalos versus natureza do acorde (maior / menor). Como na escala harmonizada s√≥ existem 3 acordes maiores contra 4 menores, √© mais f√°cil fazer a compara√ß√£o contra um acorde maior. Assim, √© mais f√°cil ordenar os acordes a partir de E e A e confront√°-los com a escala harmonizada.

Os intervalos a testar s√£o:
Maj + TT(min) + st(Maj) + TT(min) + Tst(Maj)  – E G#m A C#m
Maj + TT(min) + Tst(Maj) + TT (min) + st(Maj) – A C#m E G#m

Os intervalos a começar nos acordes menores são:
min + Tst(Maj) + TT(min) + st(Maj) + TT(min) – C#m E G#m A
min + st(Maj) + TT(min) + Tst(Maj) + TT(min) – G#m A C#m E

Tom base Modo Intervalo C
Jónico
C# Dmin
Dórico
D# Emin
Frígio
FMaj
Lídio
F# GMaj
Mixolídio
G# Amin
Eólioi
A# Bmin
Lócrio
E Jónico em E Maj+TT(min)+st(Maj)+
TT(min)+Tst(Maj)
1.
Maj
2.
(1.)+TT(min)
3.
(2.)+st(Maj)
4.
(3.)+TT(min)
A Jónico em A Maj+TT(min)+Tst(Maj)+
TT(min)+st(Maj)
1.
Maj
  2.
(1.) + TT(min)
3.
(2.)+Tst(Maj)
4.
(3.)+TT(min)
E Lídio em E Maj+TT(min)+st(Maj)+
TT(min)+Tst(Maj)
1.
Maj
2.
(1.)+TT(min)
3.
(2.)+st(Maj)
A Lídio em A Maj+TT(min)+Tst(Maj)+
TT(min)+st(Maj)
3.
(2.)+Tst(Maj)
4.
(3.)+TT(min)
1.
Maj
2.
(1.)+TT(min)
E Mixolídio em E Maj+TT(min)+st(Maj)+
TT(min)+Tst(Maj)
3.
(2.)+st(Maj)
4.
(3.)+TT(min)
1.
Maj
2.
(1.)+TT(min)
A Mixolídio em A Maj+TT(min)+Tst(Maj)+
TT(min)+st(Maj)
3.
(2.)+Tst(Maj)
1.
Maj
2.
(1.)+TT(min)
C#m Dórico em C# min+Tst(Maj)+TT(min)
+st(Maj)+TT(min)
1.
min
2.
(1.)+Tst(Maj)
3.
(2.)+TT(min)
4.
(3.)+st(Maj)
 
G#m Dórico em G# min+st(Maj)+TT(min)
+Tst(Maj)+TT(min)
1.
min
2.
(1.)+st(Maj)
C#m Frígio em C# min+Tst(Maj)+TT(min)
+st(Maj)+TT(min)
4.
(3.)+st(Maj)
1.
min
2.
(1.)+Tst(Maj)
3.
(2.)+TT(min)
G#m Frígio em G# min+st(Maj)+TT(min)
+Tst(Maj)+TT(min)
4.
(3.)+Tst(Maj)
1.
min
2.
(1.)+st(Maj)
3.
(2.)+TT(min)
C#m Eólio em C# min+Tst(Maj)+TT(min)
+st(Maj)+TT(min)
2.
(1.)+Tst(Maj)
3.
(2.)+TT(min)
4.
(3.)+st(Maj)
1.
min
G#m Eólio em G# min+st(Maj)+TT(min)
+Tst(Maj)+TT(min)
1.
min
2.
(1.)+st(Maj)
C#m Lócrio em C# min+Tst(Maj)+TT(min)
+st(Maj)+TT(min)
2.
(1.)+Tst(Maj)
1.
min
G#m Lócrio em G# min+st(Maj)+TT(min)
+Tst(Maj)+TT(min)
2.
(1.)+st(Maj)
3.
(2.)+TT(min)
4.
(3.)+Tst(Maj)
1.
min

Assim, chegamos à conclusão que os modos possíveis são:
Modo Jónico em E
Modo Jónico em A
Modo Lídio em A
Modo Mixolídio em E
Modo  Fr√≠gio em C#
Modo Frígio em G#
Modo Eólio em C#
Modo Lócrio em G#

Agora é a altura em que você começa a pensar que estão a gozar consigo. Mas não desista, agora é qie isto vai começar a fazer sentido.

Se reparar bem na tabela, vai reparar nas seguintes semelhanças:

Jónico em E = Lídio em A = Frígio em G# = Eólio em C#
Jónico em A = Mixolídio em E = Frígio em C# = Lócrio em G#

Da√≠ que esta sequ√™ncia de acordes s√≥ tem duas formas de solar. J√≥nico em E ou em A. Na verdade, na sequ√™ncia real de acordes, o primeiro √© E e o ter√ßeiro √© G#. Normalmente (nem sempre) √© para estes acordes (o primeiro e o ter√ßeiro da sequ√™ncia) que se escolhem as notas “alvo”, pelo que vamos dizer que os modos a solar s√£o J√≥nico em E e L√≥crio em G#.

Se conhe√ße a m√ļsica, ensaie e repare que a “lead guitar” toca as notas E e G# (com a varia√ß√£o final D# – E).

Outra conclus√£o importante: Na tabela fez-se a simula√ß√£o para os acordes maiores e menores, mas se fosse feita s√≥ para os maiores ou s√≥ para os menores, a conclus√£o seria a mesma, pelo que na realidade s√≥ √© necess√°rio “simular” os acordes maiores ou s√≥ os menores:

Simulação só com acordes maiores:
Modo Jónico em E = Modo Lídio em A
Modo Jónico em A = Mixolídio em E

Simulação só com acordes menores:
Frígio em C# = Lócrio em G#
Frígio em G# = Eólio em C#

Coment√°rios

coment√°rios

guitarrista

Nasceu em 1993. No tempo livre toca guitarra, aprendeu sozinho e n√£o sente a necessidade de um professor, porque o Google sabe todas as coisas. Aconselha a todos que queiram aprender a tocar guitarra sem gastar um centavo a acessar o blog tocar-guitarra.com

Parceiros

Your Header Sidebar area is currently empty. Hurry up and add some widgets.

Pular para a barra de ferramentas